Câmara realiza debate sobre tratamento do lixo de Bambuí

No dia 15 de fevereiro foi realizada uma reunião na Câmara Municipal de Bambuí, a fim de discutir a melhor forma de tratar o lixo do município. Estiveram presentes os vereadores Anderson, Edilson, Édson, Lécio, Luciano, Magno, Mário Sérgio, Pedro, Regina e Valdevino, o secretário municipal de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Oscar Von Bentzeen, a diretora de Meio Ambiente, Bruna Magalhães, a diretora da APAMA, Ieda Ester de Mendonça, o biólogo e estudante de engenharia agronômica, André Xavier e membros da sociedade civil.

 

A reunião serviu para discutir a adesão de Bambuí ao Consórcio Intermunicipal de Aterros Sanitários do Centro-oeste Mineiro, o qual possibilitará o gerenciamento dos serviços de descarte disciplinado de resíduos sólidos, resolvendo também o impacto ambiental causado pelo atual lixão.

 

O Projeto de Lei nº 005/18, que “ratifica o Protocolo de Intenções firmado pelo município de Bambuí/MG, com a finalidade de constituir um consórcio público”, encaminhado à Câmara pelo Executivo, foi aprovado em primeiro turno no dia 15 de janeiro. O segundo turno de votação será no dia 26 de fevereiro.

 

O consórcio destina-se à organização do sistema microrregional de Aterro Sanitário dentro da área de jurisdição dos municípios consorciados, que compreende implantação e ou desenvolvimento das ações básicas e serviços de gerenciamento dos Resíduos Sólidos de abrangência Local; implantação e/ou desenvolvimento de serviços de apoio à coleta seletiva; apoio aos municípios integrantes do Consórcio na organização da reciclagem da coleta seletiva. Participam do consórcio as cidades de Araújos, Conceição do Pará, Igaratinga, Leandro Ferreira, Moema, Nova Serrana, Onça de Pitangui, Perdigão, Pitangui e São Gonçalo do Pará.

Vereador Pedro Renato renuncia ao salário e ajuda Câmara de Bambuí a economizar

A partir do segundo semestre de 2017, o professor Pedro Renato Pereira Barros, optou por não receber o salário como vereador. Tal ação ajudou a Câmara Municipal de Bambuí a economizar.

 

Com isso, o Legislativo repassou ao Executivo 50 mil reais, verba direcionada ao Hospital Nossa Senhora do Brasil e que será utilizada para reforma do velório municipal. Além disso, a Câmara adquiriu um automóvel zero quilometro, permitindo que o antigo fosse doado à Secretaria Municipal de Saúde.

 

O vereador, que é funcionário público federal, escolheu dedicar-se à política e solicitou afastamento, durante seu mandato, do cargo de professor no Instituto Federal de Minas Gerais – Campus Bambuí. “Preciso realizar um bom mandato legislativo, já que o povo de Bambuí me confiou essa importante, mas desacreditada, função política; quero dar o melhor de mim, de maneira eficaz, produtiva e honesta” comentou Pedro Renato.

 

A legislação atual permite que o vereador possa exercer as duas funções ao mesmo tempo e receber os salários que lhe são devidos. Ao afastar-se da entidade federal, o vereador teve que optar por uma das remunerações, deixando assim de receber o salário do Legislativo. Esta foi uma economia significativa, que teve início no segundo semestre de 2017 e terá continuidade em 2018, o que irá possibilitar que seja repassado um valor ainda mais expressivo aos cofres públicos.

 

Fonte: Adaptado de TV Bambuí